play_arrow

keyboard_arrow_right

skip_previous play_arrow skip_next
00:00 00:00
playlist_play chevron_left
volume_up
chevron_left
  • Home
  • keyboard_arrow_right A Espiral Hermenêutica
  • keyboard_arrow_right Os três níveis da tarefa hermenêutica [A Espiral Hermenêutica – Nota 2]

A Espiral Hermenêutica

Os três níveis da tarefa hermenêutica [A Espiral Hermenêutica – Nota 2]

Pr. Elienai B. Batista 01/10/2019 63 5


Background
share close

Os três níveis da tarefa hermenêutica:

  1. O que significa (exegese) – abordagem baseada na terceira pessoa (ele);
  2. O que significa para mim (devocional) – abordagem na primeira pessoa (eu);
  3. Como compartilhar com você o que ele significa para mim (homilética) – abordagem na segunda pessoa (você).

Precisamos estudar a Bíblia por meio das três abordagens na ordem apresentada, sempre procurando conhecer o significado da passagem, para depois aplicá-lo primeiro a nós e em seguida compartilhá-lo com os outros.

Grant R. Osborne

Principal premissa do livro – a interpretação bíblica gera uma espiral:

  • Do texto ao contexto;
  • Do significado original à contextualização.

A hermenêutica não pode ser um círculo fechado que nunca encontra o verdadeiro significado.

A hermenêutica é um movimento espiral aproximando-se cada vez mais do significado pretendido do texto.

A hermenêutica é importante porque capacita a pessoa a se movimentar do texto para o contexto, para que o significado inspirado por Deus na Bíblia fale hoje com uma relevância tão nova e dinâmica quanto em seu ambiente original.” 

Grant R. Osborne

Perspectiva adotada pelo livro: “significado-significação”.

Pela própria natureza da linguagem, as verdades unívocas da Bíblia são redigidas em linguagem analógica, isto é, as verdades absolutas das Escrituras estão encapsuladas dentre das linguagens e culturas humanas dos antigos hebreus e gregos, e, por isso, devemos entender essas culturas para interpretar os textos bíblicos de maneira adequada.”

Grant R. Osborne

Para pesquisar:

  • “Teoria dos atos da fala” (Wittengenstein, Searle, Thiselton e Vanhoozer).
  • Dimensões: locucionária, ilocucionária e perlocucionária.

Para refletir:

  • Não seguir a ordem dos três níveis da tarefa hermenêutica é perigoso;
  • O terceiro nível da tarefa hermenêutica não precisa ficar restrito à homilética (que entendo ser prerrogativa dos ministros da Palavra), mas pode ser aplicado sempre que alguém seja chamado a ensinar (por exemplo, um homem que deve ensinar à sua família);
  • Um erro muito comum é desprezar o contexto e o significado de uma passagem bíblica, para aplica-la superficialmente às necessidades imediatas.
  • O significado (exegese) é o ponto de partida fundamental, mas o alvo é a significação (devocional, homilética);
  • A mensagem do evangelho é simples, mas a tarefa de descobrir o significado original do texto bíblico é complea e árdua, por isso requer:
    • Conhecimento (hermenêutica como ciência);
    • Prática (hermenêutica como arte);
    • Dependência de Deus (hemenêutica como tarefa espiritual).

Anotações de minhas leituras da obra “A Espiral Hermenêutica”. As anotações não significam concordância com o autor da obra em todos os aspectos de sua exposição. Há pontos nas anotações que não estão no livro.

OSBORNE, Grant R. A espiral hermenêutica: uma nova abordagem à interpretação bíblica. São Paulo: Vida Nova, 2009.

Tagged as: .

Rate it
Previous post

Post comments

This post currently has no comments.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *