play_arrow

keyboard_arrow_right

skip_previous play_arrow skip_next
00:00 00:00
playlist_play chevron_left
volume_up
chevron_left

Institutas da Religião Cristã - Cartas

Institutas Da Religião Cristã – Cartas | O contexto histórico da carta de João Calvino ao rei Francisco I

Pr. Elienai B. Batista 03/05/2019 63


Background
share close

Olá Seja bem-vindo!

Neste vídeo quero apresentar “O contexto histórico da carta de João Calvino ao rei Francisco I”.

Como é uma carta dirigida ao rei Francisco I,creio que seja importante, apresentar uma breve biografia deste rei.

Francisco I, nasceu em 12 de setembro de 1494.

Ele começou a reinar com 21 anos.

Em seu reinado podemos destacar o crescimento da população francesa, e o fato que ele ajudou a difundir o Renascimento na França.

Sua corte, foi o dobro da corte de seu antecessor Luiz XII. Francisco I, tinha 540 servos. Notamos assim como ele era inclinado ao luxo.

Quanto às questões religiosas, é importante observar que em 1516 o Papa Leão X, havia dado à igreja francesa a liberdade de nomear seus próprios bispos. Assim, Francisco I, tinha 10 arcebispos, 82 bispados, 527 abadias, e uma multidão de conventos. Possivelmente por isso, Francisco I, não viu necessidade de romper com Roma.

Francisco I, esteve envolvido em várias guerras contra Carlos V. E após uma derrota ele ficou cativo em Madri (1525).

Após esse período, ele se tornou dependente dos príncipes da Liga Esmalcalda. O que o impediu de usar de severidade contra os protestantes na França, por um certo período.

Mas o chamado incidente dos cartazes, trouxe algumas mudanças. Cartazes escritos em francês, e que protestavam contra a missa da Igreja Romana, misteriosamente apareceram em vários lugares públicos na manhã de 18 de outubro de 1534, inclusive no quarto real, reservado para os lenços do rei.

Diante disso, o rei Francisco I, cujo nome havia sido mencionado nos cartazes, resolveu empreender uma grande perseguição contra os reformados na França.

As prisões ficaram cheias, cultos foram interrompidos pela polícia, a fumaça de corpos subia constantemente. E uma nova forma de suplício foi usada. Um pelourinho de flagelação para levantar a vítima do fogo e devolvê-la às chamas, assando-a paulatinamente em vez de queimá-la de uma vez.

João Calvino era assim, Thea B. Van Halsema. Editora Os Puritanos

Um dado importante: aos príncipes da Liga Esmalcalda (luteranos), Francisco I dizia que estava perseguindo perturbadores anabatistas. Assim, notamos que nessa perseguição, a doutrina era frequentemente oprimida por mentiras, ardis e calúnias.

E uma das mentiras era vincular os cristãos reformados da França com os anabatistas. Estes pertenciam à Reforma Radical. E muitos de seus grupos tinham práticas absurdas como a poligamia. Eles eram adeptos da comunhão de bens imposta, que era um tipo de proto-socialismo. E eram revolucionários, lutando contra os governos.

Isso nos ajuda a entender muitas das acusações às quais Calvino procura responder na carta ao rei Francisco I.

Entre os presos e mortos, estavam muitos amigos e conhecidos de Calvino. Com já observamos, Calvino já havia fugido para Basiléia em 1535. Ali, ao receber notícias de que as perseguições se intensificavam cada vez mais, ele escreve então esta carta e a agrega aos seis capítulos das Institutas que já concluíra.

Não sabemos se Francisco I leu as Institutas, ou pelo menos a carta.

Francisco I morreu em 31 de março de 1547.

Para saber mais sobre Calvino e o contexto histórico das Institutas, recomendo a obra: João Calvino era assim, Editora Os Puritanos. Veja o link na descrição.

Confira também na descrição do vídeo um link para um teste sobre o contexto histórico.

Obrigado por sua atenção.

Que o Senhor te conceda graça e paz!

Verifique seus conhecimentos:

Esta série é um oferecimento da editoraclire.com.br e da plataforma todaescritura.org.

Tagged as: .

Rate it
Previous post

Post comments

This post currently has no comments.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *