play_arrow

keyboard_arrow_right

skip_previous play_arrow skip_next
00:00 00:00
playlist_play chevron_left
volume_up
chevron_left

Institutas da Religião Cristã - Cartas

Institutas Da Religião Cristã – Cartas | Carta Ao Rei Francisco I – Seção 2

Pr. Elienai B. Batista 08/05/2019 98


Background
share close

Leia a seção 2, responda a pergunta abaixo e depois assista ao vídeo .

Pergunta para discussão:

1. Pense em Calvino como um advogado, o que ele está tentando estabelecer nesta parte da carta (seção 2)?

https://www.youtube.com/watch?v=1bzuKN1UNzA

Olá Seja bem-vindo!

Neste vídeo quero falar sobre a seção de número 2 da carta de João Calvino ao rei Francisco I.

Se você ainda não assistiu aos vídeos anteriores dessa série, recomendo que assista. Confira na descrição um link para todos os vídeos da série.

Se você está participando de um grupo de leitura, você respondeu a seguinte pergunta:

Pense em Calvino como um advogado, o que ele está tentando estabelecer nesta parte da carta (seção 2)?

Vejamos a resposta:

Na seção de número 2, Calvino diz que a doutrina apresentada nas Institutas era atacada por mentiras e calúnias e condenada com base em condenações anteriores. Porém, nenhuma prova se apresentava de fato. O próprio rei era testemunha disso.

No cerne das calúnias contra a doutrina confessada pelos reformados, estava a sedição contra as autoridades. Os acusadores, queriam ligar os reformados na França aos anabatistas (veja lista que Calvino apresenta:.

O fato da doutrina (confessada pelos reformados na França) ser condenada nos tribunais, segundo Calvino, tinha relação com: o poder dos adversários e as mentiras, calúnias e ardis levantados contra a doutrina.

O argumento de Calvino nesta seção pode ser resumido no que se lê no início da seção:

…deve ser avaliado que não haveria nenhuma inocência, nem nos ditos, nem nos fatos, se fosse suficiente a acusação.”

Ou seja, se apenas acusar fosse suficiente, ninguém poderia provar sua inocência.

E esse era o teor das condenações nos tribunais, apenas acusações sem provas. Indicando que os ataques à doutrina não passavam de prejulgamentos.

Por isso, o procedimento contra doutrina é descrito como impedir o direito de respirar.

Portanto, o que Calvino está tentando estabelecer nesta parte da carta é o direito de defesa.

Defesa que ele apresenta através das Institutas como uma confissão perante o rei, mas também que apresenta na própria carta ao lidar com as acusações de seus adversários, como fará a seguir.

Encerramos assim os comentários sobre a seção de número 2.
Obrigado por sua atenção e até o próximo vídeo da série.

Esta série é um oferecimento da editoraclire.com.br e da plataforma todaescritura.org.

Tagged as: .

Rate it

Post comments

This post currently has no comments.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *