play_arrow

keyboard_arrow_right

skip_previous play_arrow skip_next
00:00 00:00
playlist_play chevron_left
volume_up
chevron_left
  • Home
  • keyboard_arrow_right A Espiral Hermenêutica
  • keyboard_arrow_right A hermenêutica e o significado pretendido [A Espiral Hermenêutica – Nota 3]

A Espiral Hermenêutica

A hermenêutica e o significado pretendido [A Espiral Hermenêutica – Nota 3]

Pr. Elienai B. Batista 02/10/2019 24 5


Background
share close

A hermenêutica e o significado pretendido

Objetivo da hermenêutica bíblica = descobrir a intenção do Autor/autor.

  • Autor – Deus que inspira o texto;
  • autor – agente humana inspirado.

Os autores originais tinham em mente um significado quando escreveram.

A interpretação e o problema da distância
Existe uma distância entre as pessoas da Bíblia e o leitor moderno.
Os estudiosos apontam para quatro áreas de distância:

  1. O tempo (fontes, palavras e expressões utilizadas);
  2. A cultura (usos e costumes);
  3. A geografia (nações, cidades, relevo);
  4. A língua (A.T. = hebraico, algumas passagens em aramaico; N.T. grego coinê).

Um problema no estudo das Escrituras:

  • Achamos que isso deve ser mais simples do que outras coisas que fazemos;
  • Achamos que não é preciso investir tempo ou recursos para compreendermos a Bíblia.

Inspiração e autoridade das Escrituras
A Bíblia tem um inerente senso de autoridade

  • Assim diz o SENHOR (uso frequentemente no A.T.; Is 30.15; Ml 1.13);
  • Autoridade apostólica no N.T. (Rm 12.13; Ef 6.4).

Quanto mais nos afastamos do significado pretendido da Palavra, mais aumenta o descompasso com a autoridade.

O único meio de conferir genuína autoridade à nossa pregação e à vida cristã diária é lançar mão da hermenêutica, para assim unir o máximo possível nossa aplicação à nossa interpretação e garantir que a interpretação, por sua vez, esteja em harmonia com a essência do texto.”

Grant R. Osborne

Para refletir:

  • Ignorar a distância entre nós e as pessoas da Bíblia nos conduz a uma interpretação errada das Escrituras, e isso faz com que a pregação, o estudo ou o devocional fique sem autoridade. Se torna apenas um tipo de manipulação da Escritura para aplicarmos a necessidades dos ouvintes;
    • Uma pregação que ignora o sentido pretendido do texto, não tem autoridade;
  • O que aconteceria se gastássemos no estudo das Escrituras o tempo e os recursos que gastamos com entretenimento?
    • A questão gira em torno do que é prioritário;
    • O que merece nosso tempo e dinheiro?
  • Cada crente tem a responsabilidade de aprender o quanto lhe for possível, as leis para a interpretação das Escrituras a fim de descobrir o significado original do texto.

Anotações de minhas leituras da obra “A Espiral Hermenêutica”. As anotações não significam concordância com o autor da obra em todos os aspectos de sua exposição. Há pontos nas anotações que não estão no livro.

OSBORNE, Grant R. A espiral hermenêutica: uma nova abordagem à interpretação bíblica. São Paulo: Vida Nova, 2009.

Rate it
Previous post

Post comments

This post currently has no comments.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *